Dois terços das empresas não reportam incidentes de cibersegurança

Uma pesquisa da empresa de software de segurança Kaspersky mostra que dois terços (67%) das empresas industriais não reportam os incidentes de cibersegurança às agências reguladoras. Embora a conformidade das organizações industriais modernas seja uma necessidade e fator determinante para os investimentos, muitas questões afetam a maneira como elas aderem às regras.

O relatório sobre o Estado da Cibersegurança Industrial em 2019 mostra que muitas empresas têm desprezado as diretrizes de divulgação de informações, talvez para evitar punições regulatórias e a exposição pública, com possíveis danos a sua reputação. De fato, os participantes da pesquisa declararam que mais da metade (52%) dos incidentes causou uma violação dos requisitos regulatórios, enquanto 63% deles consideram a perda da confiança de clientes uma importante questão para os negócios, caso ocorra uma violação.

Além da divulgação de incidentes, outros resultados da pesquisa mostram que as empresas têm dado muita importância à conformidade – apenas um quinto (21%) delas admite que, no momento, não cumpre as regulamentações do setor. Para 55% dos respondentes, a conformidade é o principal determinante dos orçamentos nas estratégias de investimento em cibersegurança. No entanto, esse foco nos procedimentos pode estar levando as empresas a uma atitude mais complacente em relação à qualidade das soluções de cibersegurança e a não considerar as ameaças reais; apenas 28% identificaram o cenário das ameaças como um elemento fundamental para o orçamento. 


Fonte: https://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&UserActiveTemplate=mobile%252Csite&infoid=52289&sid=18  

Esses dados são de fato preocupantes. A LGDP está em vias de entrar em vigor e muitas empresas estão longe de cumprir os requisitos básicos dessa Lei ou como vimos na matéria acima, estão pretendendo dar o famoso “jeitinho brasileiro”. Em vez de investir em soluções que realmente atendam e cumpram os requisitos, somente terão soluções para cumprir o protocolo. Ou seja, os dados continuarão desprotegidos e vulneráveis.

A Alus It Security tem soluções para todas as camadas de proteção. Com nossa consultoria, sua empresa poderá se adequar à LGPD e de fato proteger os dados que são tratados e que são de sua responsabilidade.

Hoje queremos destacar para você uma importante solução que monitora riscos de human-centric com visibilidade e controle em todos os lugares onde as pessoas trabalham e em todos os lugares onde seus dados residem, o Forcepoint DLP. 

Muitas soluções de segurança oferecem alguma forma de DLP integrado, porém as equipes de segurança enfrentam complexidades e custos adicionais ao implementar e gerenciar políticas separadas e inconsistentes através de endpoints, aplicações em nuvem e redes.

O Forcepoint DLP acelera seus esforços para atingir o nível de conformidade combinando políticas de cobertura globais pré-configuradas e um controle central através de seu ambiente de TI, protegendo de forma eficiente informações confidenciais de clientes e dados regulamentados para que se possa comprovar com confiança a conformidade contínua.

Quer saber mais sobre essa solução de segurança? Entre em contato conosco hoje mesmo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Podemos ajudá-lo